sexta-feira, 18 de junho de 2010

Tiragem Sanguínea.





Vocês já devem ter escutado essa expressão muito comum quando falamos de exames de paternidade e outro exames sanguíneos, mas se tratando biologicamente do assunto, tiragem (ou tipagem) sanguínea é quando colocamos o sangue X com o soro Anti A e Anti B e vemos se o mesmo se aglutina.



A partir desse procedimento podemos constatar de que tipo de sangue estamos tratando, através desse exame é possível saber qual doado é compatível com o paciente também.



De acordo com o site 'Colegioweb' alguns passos devem ser seguidos, que são:



"1.º) Coloca-se numa lâmina de microscopia, lado a lado, uma gota de soro anti-A e outra de soro anti-B.

2.º) Sobre cada gota de soro coloca-se uma gota do sangue a ser identificado. Observando-se o resultado, temos:



a) Se não houver aglutinação em nenhum dos lados, o sangue em exame é do grupo O.

b) Se houver aglutinação nos dois lados, o sangue é do grupo AB.

c) Se houver aglutinação somente com o soro anti-A, o sangue é do grupo A.



d) Se aglutinar somente com o soro anti-B, o sangue é do grupo B."



Sendo assim é possível que se descobrir o tipo sanguíneo, além disso, existe o Fator Rh que é explicado pelo site assim:



"Fator Rh: (Rhesus) ou Fator D – 85% das pessoas possuem nas hemácias um antígeno chamado fator Rh. Estas pessoas são Rh+ (positivas). 15% das pessoas não possuem nas hemácias o fator Rh e são Rh- (negativas).

Mecanismo genético – O fator Rh é determinado por um par de alelos, R e r: R determinando a formação do fator Rh e r determinando a sua não-formação, sendo R dominante sobre r."



Um único porém é que numa transfusão o doador de Rh + mesmo sendo compatível com o paciente de Rh - não é possível uma segunda doação, pois o paciente por não possuir o Fator Rh é considerado sensibilizado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário